AO CUBO: Os que desviam verba são os que matam de fato

Ao Cubo traz canções de Hip Hop sobre consumismo, política, injustiça, juventude, delito e espiritualidade e clipe com Neymar

Notícias – 20 de janeiro de 2015

Ao_Cubo_Rap_Hip_Hop_Gospel_Periferia_Neymar_violencia_jovem_criminalidade_sociedade_revista_gente_nova (21)De acordo com dados do Subsistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, a violência contra jovens cresceu nos últimos anos. Mortes violentas – como acidentes, homicídio ou suicídio – aumentaram 207,9%. Se considerarmos só os homicídios, o aumento chega a 326,1%. De aproximadamente 34,5 milhões de pessoas com idade entre 14 e 25 anos, 73,2% morreram de forma violenta.

Esse aumento destaca a passividade do governo e da sociedade quando o assunto são os jovens, em especial os da periferia e os do interior de grandes estados, onde as mortes têm índices mais elevados.

A música sempre questionou a forma de vida da sociedade se inclinando para o povo excluído. Expressam a insatisfação política e, de uma maneira geral, a péssima gestão pública deste país. Isso acontece no discurso do Ao Cubo e de artistas como Gabriel, O Pensador, Racionais, Dexter, Criolo e Emicida.

À frente do Ao Cubo – que traz canções sobre consumismo, política, injustiça, juventude, nostalgia, delito e espiritualidade – está a voz marcante de Dona Kelly, as acrobacias vocais de Cleber e Feijão, e a performance energética do Dj Fjay.

Através do hip-hop eles também fazem trabalhos sociais nas unidades da Fundação Casa (antiga Febem) em todo o estado de São Paulo; realizam shows beneficentes nos quais arrecadam alimentos para a Casa Terapêutica Conquista voltada para dependentes químicos; e participam de partidas de futebol que arrecadam donativos para lares-abrigos.

As canções do grupo são caracterizadas por samples, instrumentos de corda e batidas tradicionais do hip-hop, que dão o clima do estilo. A identificação das pessoas com as letras trazidas da periferia e de vivências pessoais tem aproximado ainda mais o Ao Cubo de seu público.

As encenações durante as gravações reforçam a presença de palco, como em Bye-bye tristeza, por exemplo, que conta a história de uma menina depressiva numa balada e Mil desculpas, que fala de um jovem perdido para o caminho da criminalidade.

No penúltimo álbum foram gravados videoclipes, como o da canção Nasci pra vencer com participações especiais da cantora Priscila Alcântara, os jogadores Neymar (futebol) e Serginho (vôlei). Confira o clipe, os contatos e conheça mais sobre o Ao Cubo!

Clipe com participação de Neymar (futebol), Serginho (voley), Priscila Alcântara (cantora e apresentadora), Thaide (rapper e apresentador):

Face_Ao_Cubo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.