Capelania x Voluntariado

A Capelania capacita o voluntariado para o exercício de Assistência de Ação Social dentro de uma instituição, seja ela pública, privada ou do terceiro setor.


Ano 1 – Revista nº 3 – Fevereiro 2010

Por: Reinaldo U. Moraes e Roberto Viana P. Vasconcelos – Coordenadores das Capelanias Apoio à Vida

Uma atitude pode mudar uma história. Tudo depende de você!

Há quem ainda desconhece o conjunto: capelania voluntariado e voluntariado capelania. Embora seja uma coisa só em seus objetivos, a Capelania se destaca na preparação, ou seja: capacita o voluntariado para o exercício de Assistência de Ação Social dentro de um órgão, seja ele público, privado ou do terceiro setor. A Capelania ao longo dos anos vem se destacando pela sua funcionalidade de expressão e ação. Em se tratando de pessoas, trabalha para que seus objetivos sejam alcançados dentro da visão de humanização com princípios éticos cristãos. Discipuladora não de uma religião, mas de princípios voltados ao ser humano que o levem a importância d fazer em prol do semelhante em vez de fazer em prol de si mesmo.

Forma de atuação

A Capelania vem atuando na área da educação, de escolas a universidades, atraindo cada vez mais crianças, adolescentes e jovens ao voluntariado. Não é de se admirar que haja por parte de outros o mesmo interesse. Um voluntário gera outros voluntários. Capelania é um processo educativo como um instrumento de capacitação humana tridimensional: corpo, alma e espírito. Todo contexto educativo precisa estar dentro desses princípios porque eles se completam. “Se você tem um barquinho, um remo e decide remar apenas em um dos lados, não vai sair do lugar, mas quenado decide usar o remo em ambos os lados, descobrirá coisas jamais vistas porque você saiu e andou em frente”. A Capelania como voluntariado tem esse objetivo, aplicar esforços formadores de caráter, objetivos e acima de tudo, aprender a amar o semelhante e restaurar seu valor na sociedade.

Quem se interessa?

O voluntariado é movido por três estímos básicos. O primeiro é colocar o coração no “querer” dedicar parte do seu tempo, espontaneamente e sem remuneração a atividade que possa ajudar alguém. O segundo é colocar a inteligência no “prever” que a contribuição individual é essencial para mudar uma realidade. Por fim, dedicação no “fazer”, oferecendo conhecimento, experiência e tempo a uma causa que irá beneficiar a comunidade onde se vive.

Hoje, uma empresa abre as suas portas para o trabalho de Capelania, por concluir que um funcionário que tenha princípios éticos, morais, humanistas e religiosos agrega valores a si mesmo, aos companheiros e a empresa passando a ser muito mais produtivo.

A Importância

Em 1.985, a Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) escolheu o dia 5 de dezembro como a data oficial para a celebração do trabalho voluntário. Desde então, centenas de países aderiram à data para celebrar o esforço voluntário e suas conquistas.

Quando falamos em Capelania, voluntariado, assistência de ação social, humanismo, etc., é bom salientar que: “social por social todo mundo faz, mas o que faz a diferença são os princípios do Reino de Deus”. Jesus aplicava assitência social e ao mesmo tempo o Reino de seu Pai. Ele não veio condenar o mundo, mas salvar o mundo; isso inclui, eu e você. É necessário deixar de lado a insignificância, a mesquinhez, a individualidade e começarmos mostrar interesse pelas pessoas ao nosso redor que como nós precisam de apoio, carinho, motivação, cuidados, sorrisos, abraços, sentem a necessidade de se comunicar de forma edificante e fortalecedora. São jovens, idosos, crianças, doentes, presos, políticos, esportistas, empresários e empregados. Quem se importa com eles? Opa!!! Podemos em algum momento ser um deles!

Você pode fazer uma pessoa sorrir, pode dar a ela um abraço que não ganha há muito tempo. Pode dizer-lhe palavras que a motivem e a façam ter vontade de voltar a sonhar. Pode oferecer a elas um pouco do muito que você possui, porque você possui muito!

Onde encontrar?

Capelanias vai até sua comunidade seja empresa, hospital, velório, creche, asilo, orfanato, escola, universidade, presídio, política parlamentar e até militar através de cursos preparatórios para o exercício de suas atividades. Simples não?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.