Estalar os dedos faz mal?

Quem cultiva o hábito de estalar os dedos sempre ouve de avós e afins que a mania faz mal às articulações. Mas será que faz mesmo?


Notícias – 06 de maio de 2015

670px-Crack-Your-Knuckles-Step-6-preview

Para algumas pessoas, estalar os dedos é uma atitude tão corriqueira quanto se espreguiçar, embora faça outras tantas morrerem de aflição. Quem cultiva o hábito sempre ouve de avós e afins que a mania faz mal às articulações. Mas será que faz mesmo?

Segundo especialistas ouvidos, pode fazer mal se as articulações forem estaladas sem parar, por exemplo, quando a pessoa possui um tique nervoso, por manifestação de Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) ou de estados demenciais.

“Há referências na literatura de pessoas que acabam tendo lesões nesses casos”, explica o ortopedista Rames Mattar Junior, especialista em cirurgia da mão do Hospital Israelita Albert Einstein e professor da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo).

Mas o cirurgião esclarece que é difícil saber se o dano ocorre pelo estalar os dedos, em si, ou pelo fato de que essas pessoas apertam tanto os dedos a ponto de provocar traumas. Ou seja: não dá para comprovar o nexo causal.

Um trabalho científico publicado em 1975, no “The Wertern Journal of Medicine”, falou em associar o hábito de estalar os dedos a uma incidência mais alta de problemas degenerativos, como artrose. Mas apenas 28 idosos participaram do estudo.

Outra pesquisa, publicada em 1990 no “Annals of the Rheumatic Diseases”, avaliou 300 pessoas e também não encontrou alterações degenerativas entre cultivadores do hábito, embora os “estaladores” apresentem maior incidência de inchaço nas mãos e redução na capacidade de preensão, provavelmente devido a uma frouxidão nos ligamentos.

Por essas e outras análises, pode dizer para sua avó que nenhum estudo científico prova que estalar os dedos faz mal às articulações. E mais: muita gente até se sente revigorado depois de uma sessão de quiropraxia, que garante vários estalos desse tipo no corpo inteiro.

Só fique atento à repetição do comportamento, essa é a orientação que Mattar e outros ortopedistas costumam dar quando questionados pelos pacientes.

O médico do Einstein lembra que a mania é comum entre adolescentes, que têm articulações mais elásticas. “Se você pedir para uma pessoa mais idosa provocar o ruído, provavelmente ela não vai conseguir”, ressalta o médico, lembrando que a rigidez vai aumentando com o tempo.

Ruídos diferentes

raio-x-gMas, afinal, o que exatamente provoca o estalido ao puxar ou apertar os dedos? Em primeiro lugar, saiba que entre um osso e outro da mão ou de qualquer outra parte do corpo existe uma cápsula (um globo de tecido, que conhecemos como articulação) que contém um líquido em seu interior, chamado sinovial. Toda essa estrutura é reforçada pelos ligamentos.

“Puxar os dedos gera uma espécie de vácuo intra-articular que faz o líquido sinovial se movimentar com violência, daí o ruído”, descreve o ortopedista Nelson Trombini, do Hospital São Luiz Jabaquara. Essas bolhas no fluido das articulações, portanto, são a origem do estalido, um processo chamado de “cavitação”.

“Outro tipo de ruído ocorre quando dobramos uma articulação”, diferencia Trombini. Sabe aquele “cleck” que nos faz lembrar que estamos ficando enferrujados? “Nesse caso, o estalido se deve ao atrito entre as cartilagens dos ossos, ou então ao contato do tendão com alguma saliência óssea”, avisa o médico.

Esse ruído, mais conhecido como “crepitação”, em geral vem acompanhado de dor. E, segundo os médicos, pode ser sinal de algum problema, como artrose, ou resultar em algum “pepino”, como a tendinite.

Fonte: UOL / Tatiana Pronin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.