Descubra como funciona a tatuagem e sua remoção com laser

Você sabia que as suas células brancas e seu fígado também participam do processo de remoção de uma tatuagem? Pois é, aquele laser que remove a tattoo não funciona sozinho, como uma borracha mágica.


Notícias – 24 de março de 2016

Você sabia que as suas células brancas e seu fígado também participam do processo de remoção de uma tatuagem? Pois é, aquele laser que remove a tattoo não funciona sozinho, como uma borracha mágica.

Este vídeo do Smarter Every Day mostra como esse processo acontece. Ele não é simples e envolve a termodinâmica, ótica, biologia e química.

Grânulos de pigmento

Antes de entender como retirar o pigmento da tatuagem, vamos dedicar um pouco de atenção para a tinta usada na pele. As cores claras dos pigmentos da tatuagem são criadas por componentes que em geral usam metais pesados como cobre ou cobalto, magnésio ou sais de alumínio. Então a tatuagem é basicamente a injeção desses metais na sua pele.

O cirurgião plástico Dr. Lapper explica que ele utiliza em seus pacientes um laser de pulso ultra curto, que pisca a uma velocidade muito maior que um nanosegundo. A velocidade de pulso é um picosegundo, que equivale à trilionésima parte de um segundo.

“No momento em que você coloca o pigmento na pele, seu corpo está tentando se livrar dele. Ele reconhece que é um material estranho. Células brancas do sangue vêm para remover o pigmento”, explica. É por isso que as tatuagens desbotam com o tempo, com a ação do sistema imunológico.

As células brancas, porém, são muito menores que o grânulo de pigmento, por isso elas não conseguem eliminá-los. “É como tentar morder um elefante”, exemplifica o médico.

Então o que o laser faz é quebrar esses grânulos para que fiquem pequenos o suficiente para que as células brancas os levem embora. Ele acelera um processo que o corpo já faz normalmente. Os pigmentos são transportados pelos canais linfáticos para o fígado, para limpeza e excreção.

Como o laser quebra o pigmento?

O calor do laser atinge o grânulo de pigmento tão rapidamente que o lado que está virado para a luz se expande mais rápido que o lado não exposto. Assim, ele acaba se partindo em pedaços menores. Quanto mais rápido o laser esquenta apenas um lado do grânulo, mais chance tem de quebrá-lo.

Fonte: HypeScience

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.