Handel e a célebre Halleluja

Qual o significado de uma das músicas mais conhecidas em todo o mundo? Saiba tudo sobre “Halleluja”, de Handel.

Notícias – 28 de janeiro de 2015

pt_wikihow_comCom certeza você já ouviu ao menos a principal parte do 42º movimento do oratório Messiah (um gênero de composição musical cantado e de conteúdo narrativo), ou Messias, de Georg Friedrich Handel – a célebre Halleluja.

Embora muitos concertos interpretem apenas algumas partes, a “oratória” completa (Messias) tem 51 movimentos e conta toda a história de Jesus, desde a profecia, passando pelo nascimento, a vida, a morte e ascensão/ressurreição de Cristo. Sua duração em média é de 2h25min, apesar de ter sido composta em apenas 24 dias, tempo considerado inacreditável para uma composição como essa.

Os movimentos estão divididos em três partes propositalmente, em referência a importância do número três na Bíblia: Trindade – Pai, Filho, Espírito Santo; Três tentações a Jesus; Três dias em que Jesus esteve morto, ressuscitando no terceiro; entre outras citações.

A primeira parte refere-se às profecias e ao nascimento, a segunda retrata a Paixão de Cristo terminando com o coral “Halleluja”, que exalta a vitória de Jesus sobre a morte. E a terceira parte discorre sobre a Redenção. A estreia da oratória ocorreu na Páscoa de 1742, data totalmente apropriada para o contexto.

Ainda que tenha uma temática religiosa, Messiah não é uma obra sacra, ou seja, não foi concebida para efeito litúrgico – missas ou cultos. A composição surgiu para fazer parte de apresentações musicais que tinham a finalidade de angariar fundos para instituições de caridade em Dublin.

en.wikipedia.orgApesar de ter sido um compositor polêmico em sua época e ter diversos investimentos frustrados, chegando ao limite da falência algumas vezes, Handel sempre manteve presente uma vertente social. Dedicou-se a apoiar instituições de caridade, como fez como a canção composta; fundou a “Sociedade de apoio aos músicos pobres”, investiu tempo no Foundling Hospital, fundação para a educação de crianças abandonadas, entre outras diversas ações sociais.

Georg Friedrich Handel viveu de 1685 a 1759. Obviamente Cristão Protestante (como a maioria dos europeus em sua época), Handel é considerado um dos mais ilustres compositores da era Barroca.

Aos 11 anos já era ilustre no cravo e no órgão. Muitos relatos revelam ainda que tinha uma capacidade ímpar para criar, sendo um dos mais ágeis compositores. Nascido na Alemanha, mas passando boa parte de sua vida na Inglaterra, Handel teve decepções e vitórias decorrentes dessa “dupla” cidadania.

Como Bach, Handel foi operado de catarata; mas, sem sucesso, ficou cego seis anos antes de sua morte. O corpo do compositor está sepultado na Abadia de Westminster, na Inglaterra.

Sua obra sacra é riquíssima. Dos oratórios, destacam-se Messiah (1741), Israel in Egypt (1738), Judas Maccabaeus (1746), Joshua (1747), Jephtha (1751); Das óperas, Agrippina (1709), Rinaldo (1711), Tamerlano (1724), Rodelinda (1725), Ariodante (1735), Alcina (1735), Berenice (1737); das cantatas, La Lucrezia – O Numi Eterni (1710), Ode for St. Cecilia’s Day (1739).

Confira um vídeo com Flash Mob da principal parte do 42º movimento do oratório Messiah, para relembrar a famosa “Halleluja”. E outras interpretações dessa obra:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.