Porque os japoneses limparam o estádio

Os japoneses se destacaram na Copa não pelo futebol, mas por limparem o estádio ao final do jogo. Alguns acharam que era marketing ou campanha, mas eles fazem isso SEMPRE. E sabe por quê?


Notícias – 25 de Junho de 2014

Os japoneses se destacaram na Copa do Mundo (2014) não pelo seu futebol, mas pela atitude dos torcedores que limparam o estádio ao final do jogo. A torcida Ultras Nippori foi responsável pela distribuição das sacolas utilizadas para recolher o lixo.

Os brasileiros ficaram impactados no jogo entre Japão e Costa do Marfim (Arena Pernambuco – 13/06) e participaram do ato na partida entre Japão e Grécia (Arena das Dunas – 19/06).

“Eles vieram ao Brasil e nos deram um grande ensinamento”, completou Anselmo Almeida que também participou desta boa ação.

Alguns acharam que era alguma jogada de marketing, outros que era apenas uma campanha, mas a verdade é que eles fazem isso SEMPRE. E sabe por quê?

No Japão as escolas não contratam faxineiros e serventes, são os próprios alunos que limpam e cuidam da escola. Isso gera neles a cidadania e o senso de responsabilidade, não apenas com patrimônios públicos. Desde crianças meninos e meninas auxiliam no trabalho doméstico, pelo mesmo motivo.

Bem diferente das crianças brasileiras que jogam o saco de salgadinho pelo vidro do carro com a ciência da mãe, as crianças japonesas se organizam em rodízios de tarefas na escola e cada um sabe que precisa fazer a sua parte. Além das dependências do prédio, as escolas possuem jardins e animais domésticos, alimentados e cuidados pelos alunos, o que estimula o contato e o respeito pela natureza. E o caminho até a escola é à pé, em grupos de 8 crianças, com acompanhamento de apenas um monitor, para que tenham noções de trânsito e cidadania.

“O objetivo dessa tradição centenária é preparar as crianças para andar sozinhas nas ruas, a aprender as regras de trânsito, fazendo com que os motoristas tomem cuidado e reduzam a velocidade nos horários de entrada e saída da escola”.

O esporte é extremamente incentivado e conta muito para o ingresso no colégio. Além do ensino de música e instrumentos, eles também possuem aulas de princípios. Os alunos mais velhos são responsáveis por ensinar algumas tarefas aos mais novos, que mais que a tarefa, aprendem a respeitá-los.

Não podemos negar que, embora o modelo de educação japonês seja excelente, peca na quantidade de carga horária e em algumas exigências mais rígidas.

O fato é que é possível achar um “meio termo” entre o excesso de rigidez japonês e o ensino de egoísmo e mimo brasileiro, que chega a ser vergonhoso. Lutar por uma educação mais justa e por aprendizado de princípios desde cedo não é apenas um direito, mas um dever para garantir um futuro ao nosso país.

Em contrapartida, veja a vergonha de comportamento super protecionista de pais brasileiros, do Conselho Tutelar de Santo Amaro (SP) e da Secretaria da Educação de São Paulo, clicando nessa matéria.

Agora você sabe porque os brasileiros ficaram tão impactados com uma simples atitude dos japoneses, os resultados de cada comportamento são notórios. Cabe a cada um decidir que modelo de adulto quer ser e qual modelo de ensino prepara seus filhos para uma vida melhor. Pense nisso, mas tome atitudes transformadoras também!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.