Maconha torna-se atração turística

Enquanto a discussão sobre a legalização ainda ferve, a maconha já passou a fazer parte como atração turística em pacotes de viagem para algumas cidades.


Notícias – 07 de Maio de 2014

Sem título-1Desde Dezembro do ano passado, o Uruguai legalizou o cultivo, venda e consumo de marijuana, o primeiro país do mundo a fazê-lo, numa experiência que está a ser seguida com atenção, quer por críticos como o organismo de controle de narcóticos da ONU, quer por países que tentam encontrar uma alternativa à “guerra contra as drogas” levada a cabo pelos EUA.

O estado do Colorado nos Estados Unidos tem fama de ser o estado das cervejarias que agora passou a ter um concorrente: a maconha ou marijuana. Maconha é o nome dado aqui no Brasil a uma planta chamada cientificamente de “cannabis sativa”. A cannabis passou a fazer parte de pacotes turísticos e pasmem, de uma forma muito natural. A Lodo Wellness Center comercializa o produto onde os turistas costumam fazer um “selfie” na porta. “É preciso registrar. Mesmo para nós, americanos, isto é muito incomum”, diz um visitante que veio de Chicago.

Maconha_liberação_legalizar_cultivo_liberada_gente_nova_uruguai_EUA_Colorado_turismo_01Para entrar é preciso ter mais de 21 anos e mostrar a identidade. O pagamento é em “cash” e é proibido fumar. A Lodo tem uma sala de espera com clima de spa, meio hippie esotérico. Estatuetas de Buda estão ao lado de penduricalhos indianos, biombos, vasos chineses e uma vitrine que deixa entrever a plantação em vasos plásticos. No local de venda há cigarros eletrônicos, recargas, bonés, isqueiros, “cookies”, balas, batom e até colírio para não deixar os olhos vermelhos. E, claro, seis variedades da erva em potes de vidro, na faixa de US$ 20 a grama, produzidas sem aditivos químicos e com controle de luz. Nas agências da cidade, essa diversão pode custar US$ 100 ou mais de US$ 3 mil, quando inclui hospedagem.

Como o Colorado tornou a “maconha recreativa” legal, e como a nova lei tenha entrado em vigor, as lojas legais de maconha abriram as portas para os movidos a drogas. Para compensar os danos que advirão os tributos arrecadados da venda serão revertidos em benefícios de escolas públicas.

Mais um modismo norte americano transmitindo ao mundo uma péssima iniciativa. Um contrassenso, enquanto enormes somas de recursos públicos são investidos no combate às drogas pelas consequências danosas que causam à estrutura da sociedade presenciamos o fomento ao uso das mesmas de uma forma “chic”. Nota zero!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.