A República do Pequi

O pequi é um fruto do cerrado um tanto desconhecido no país, assim como muitos disparates políticos que você não conhece…

Revista 12 – Agosto / Setembro 2014

GN12_completa.cdrO que é pequi? Ninguém está preocupado em saber, assim como tantas outras coisas que “rolam” no cenário nacional. Estamos em ano eleitoral, com uma tremenda crise no abastecimento de água na região Sudeste, mas isso não importa, desde que se consiga manter o cenário político, o resto é apenas o resto. Assim agem nossos governantes, não que isso seja uma novidade, mas é preciso conhecer os absurdos que eles organizam e não são de seu conhecimento, assim como, talvez, o pequi.

A ÁGUA NO ANO POLÍTICO

A ONU, em 1992, instituiu o Dia Mundial da Água preocupada com a água que sabemos está sobre dois terços do planeta Terra. A razão é que pouca quantidade, cerca de 0,008% do total da água de nosso planeta é potável (própria para o consumo). E como sabemos, grande parte das fontes desta água está sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem.

Esta situação é preocupante. Apuramos que existem pessoas que não estão preocupadas com este fato. Desde 2012, 24 chacareiros da Vargem da Benção vivem com a espada do despejo sobre a cabeça. A maioria deles é pioneira, convidada pelo então presidente Juscelino Kubistchek para formar um cinturão verde voltado ao abastecimento da nova capital no início da década de 1960. Meio século depois, os convidados tornaram-se inconvenientes para o governo do Distrito Federal, que planeja implantar nas terras onde eles moram e produzem, um mega conjunto habitacional, com 24.640 blocos de apartamentos de quatro andares, para receber 120 mil pessoas, pelo programa Morar Bem.

A licitação para implantar o Parque das Bênçãos foi vencida pela construtora Mendes Júnior. Segundo ela, a área destinada ao empreendimento é ambientalmente frágil. No local, há muitas nascentes, que serão aterradas com obras do conjunto habitacional.

CONTRADIÇÕES

Daí, surge mais uma contradição, entre as muitas do atual governo, que comemorou, em 26 de fevereiro último, a escolha de Brasília para sediar, em 2018, o Fórum Mundial da Água. O anúncio ocorreu em Gyeongju, na Coreia do Sul. O governador do Distrito Federal estava lá e declarou: “Esse é mais um importante passo para a vocação da nossa cidade, que está preocupada com o meio ambiente e a qualidade de vida”.

Vale da Bencao

Forum_Mundia_Agua

Na campanha eleitoral, o governador do Distrito Federal, Agnelo Queirós (PT) prometeu construir 100 mil residências a fim de zerar o deficit habitacional. Então, como justifica-se a retirada de famílias que vivem e trabalham há mais de 50 anos na Vargem da Bênção?

O governo pretende ainda desalojar a Embrapa Cerrado, uma referência no campo da pesquisa agropecuária para o país e para o mundo. Na área, que abriga décadas de estudos, o Executivo brasiliense pretende levar adiante o seu plano poucos meses das eleições de 2014. Ainda que a área fosse um espaço vazio, não haveria tempo hábil para erguer blocos e mais blocos de apartamentos a fim de dar uma satisfação aos eleitores. A intervenção na Embrapa Cerrado significa soterrar, assim como as nascentes, um acervo incalculável de conhecimento.

Afinal, para que preservar, cuidar, manter a história, fazer pesquisa, formar conhecimento se o que importa é satisfazer o ego de alguns.

AS ELEIÇÕES

Este fato, assim como muitos outros nos deixa atento para as inúmeras promessas feitas no período que antecede as eleições. Antes de votar, quando o candidato já é conhecido, é preciso pesquisar sobre sua atuação durante o mandato que está exercendo. Projetos, opiniões, participação, etc. Votar apenas pelo discurso do candidato é uma atitude leviana.

Se o candidato é novo no cenário político, essa pesquisa deverá ser mais difícil. Informe-se onde ele atua, se é empresário, se profissional liberal. Pergunte no comércio, na escola, faça uma investigação. Acredite, se fizermos isso, teremos menor probabilidade de errar.

Esse ano as Eleições já passaram, mas outras virão e é preciso votar com responsabilidade.

Um dia um sábio disse: “Se em algum lugar você vir o rico explorando o pobre e o roubo em vez de justiça, não se espante! Cada autoridade tem alguém mais importante acima dela e esses também tem chefes e superiores. Por isso os casos ficam perdidos no meio da papelada. E acima de toda essa gente está o rei. Ah, como é bom um rei que se dedica a seu país! Só ele pode pôr ordem numa confusão assim.” (Ec 5:8)

Afinal, saiba que num país democrático é você quem escolhe o rei!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.