RUGBY: o esporte que mais cresce no Brasil

O Rúgbi (ou Rugby) é o esporte que mais cresce no Brasil. O que mais tem atraído os brasileiros no esporte? Um show de disciplina e educação!


Notícias – 11 de fevereiro de 2016

Por: Eliane Galante é Professora, Bacharel em Ciências Sociais e Geografia.

Um dos esportes que mais cresce no Brasil, o Rúgbi, que tem sua origem na Inglaterra, nasceu entre os séculos XVIII e XIX, tendo suas primeiras regras escritas no ano de 1846, formalizando-se assim como esporte.

Disputado em mais de 120 países, é muito popular nos países de colonização inglesa, mas também em outros como os nossos vizinhos Argentina e Uruguai, que atualmente ocupam, respectivamente, as 5ª e 20ª posições no ranking mundial de Rugby Union. Vale ressaltar que as equipes que estão nas primeiras posições são: no topo da lista a Nova Zelândia, conhecida como All Blacks (devido seu uniforme todo preto) que é a atual campeã do último mundial realizado, em outubro de 2015, na Inglaterra; em segundo lugar, encontra-se o time australiano, os Wallabies (denominados assim em homenagem a um marsupial parecido com um canguru, característico da região da Oceania); e, em terceira posição está a seleção Sul-Africana, conhecida como Springboks (referência a um antílope da fauna local), aliás, o time da África do Sul ficou conhecido no Brasil devido ao filme “Invictus”, dirigido por Clint Eastwood e estrelado por Morgan Freeman e Mat Damon, que, baseado em fatos reais, retrata como o recém-empossado presidente Nelson Mandela usa o rúgbi para amenizar a desigualdade social/racial em seu país, em 1995, ano em que o mundial foi disputado em campos Sul-Africanos.

Em terras brasileiras o esporte chegou por volta de 1888, pelas mãos do inglês Charles Miller, o mesmo que trouxe o futebol para o nosso país. Mas o rúgbi só passou a ser praticado regularmente a partir de 1925.

De 1927 até 1940, anualmente, houve a disputa da Taça Beilby Alston, neste período foi criada a seleção brasileira de rúgbi que era formada, em sua maioria, por jogadores de origem inglesa. Com o início da II Guerra Mundial, a maioria dos jogadores retornou à Europa para o combate e, assim, o esporte no Brasil foi interrompido. Somente em 1947 é que ele voltou a ser jogado. Porém, a sua notoriedade só retornou nos últimos anos. Fora das olimpíadas desde 1924, o rúgbi voltou a ser um esporte olímpico e participará dos jogos que serão disputados, neste ano, na cidade do Rio de Janeiro.

FB_IMG_1454643669065A seleção brasileira masculina e feminina de rúgbi (os Tupis), tem se desenvolvido muito, especialmente por não terem o mesmo investimento e reconhecimento como outros esportes. Pelo World Rugby Ranking, o Brasil está na 42ª posição tanto no masculino, quanto no feminino, com destaque para a seleção feminina que conquistou o 10º lugar no último mundial de Sevens, realizado em Dubai, hoje sendo reconhecida como a melhor seleção feminina da América Latina, ficando a frente de seleções como a da Argentina, Uruguai e Chile que são países onde o esporte é popular e tem tradição.

O Rugby Union é dividido em duas categorias, as quais se diferenciam, especialmente, pelo número de jogadores: é o Rugby XV, onde cada equipe possui 15 jogadores; e o Seven A Side, ou simplesmente Sevens, com sete jogadores cada equipe.

Aqui no Brasil, o rúgbi é facilmente confundido com o Futebol Americano, inclusive dizendo que ambos são violentos, mas são esportes bem distintos. Como no rúgbi o jogador só pode passar a bola para o companheiro que estiver atrás, isto faz com que o time todo jogue de forma diferente do Futebol Americano, além disso, uma partida de rúgbi dura apenas dois tempos de 40 minutos (no XV) e dois tempos de 7 minutos (no Sevens), já uma partida de Futebol Americano pode durar até mais de 3 horas. O rúgbi é um esporte de contato com regras bem definidas para que haja o “fair play” (jogo limpo), impedindo que seja um esporte violento, assim esse contato só deve ser feito com ombros e braços; já no futebol americano, os jogadores projetam seus corpos para cima dos adversários com a finalidade de parar a jogada, havendo mais riscos de se acidentarem e contraírem graves lesões, por isso que utilizam equipamentos de segurança como os capacetes e ombreiras.

Atualmente o Brasil possui centenas de times profissionais e amadores, e uma infinidade de sites voltados para esta categoria esportiva, que ajudam os admiradores pelo esporte a conhecer mais sobre o jogo, suas regras, principais jogadas e pontuação, além de trazer notícias de times, torneios e campeonatos realizados no país e no mundo.

Com cerca de 70 mil praticantes no Brasil, o Rúgbi é o esporte que mais cresce em nosso país, cerca de 15% ao ano, e com ele, novas equipes surgem, como é o caso do Rugby Barro Branco, o primeiro time militar do Brasil, que foi fundado em maio de 2015. Isso só foi possível porque o esporte é amplamente incentivado na academia de oficiais da polícia militar do estado de São Paulo, através do seu comandante, o Coronel Celso Luís, juntamente com seus capitães que dão o suporte necessário para que o esporte se desenvolva entre as companhias da escola. Como um verdadeiro jogo de rúgbi, onde o trabalho em equipe é muito valorizado, o time do Barro Branco surgiu através da iniciativa do Tenente Bordin e hoje é potencializado pela Tenente Fernanda, a oficial de ligação do Grêmio Esportivo, contando também com o auxílio do coordenador e técnico Major Higino, que dirige os treinos semanais e está presente em todos os jogos, juntamente com o técnico do time Júlio Katz e o resultado disso são as excelentes vitórias que o time vem adquirindo ao longo dos torneios que tem participado. Segundo o capitão do time, o cadete Lucas Passoni, o rúgbi desenvolve características militares, tais como hierarquia, cobertura, disciplina e respeito, afinal, os pilares deste esporte são:

* Integridade, demonstrada pela honestidade e o jogo limpo;

* Respeito por todos os envolvidos no jogo, desde os jogadores companheiros até adversários, arbitragem e torcida;

* Solidariedade proporcionada pelo trabalho em equipe e lealdade, uma amizade entre todos os envolvidos que ultrapassa as diferenças políticas, geográficas, culturais e religiosas;

* Paixão, pois o rúgbi é um esporte excitante que leva tanto os participantes, quanto os expectadores a apaixonar-se por sua dinâmica; e a

* Disciplina que é gerada pelo cumprimento das leis, regulamentos e valores que o esporte agrega e esta é aplicada dentro e fora do campo. Costuma-se dizer que o rúgbi é um esporte praticado por cavalheiros, devido o tratamento formal que se dá durante o jogo, um exemplo disso é a forma de se dirigir ao árbitro e este aos jogadores, sempre os tratando como senhor e, geralmente, o único que fala com ele é o capitão do time.

Pode-se afirmar que, além de conservar seus valores, o rúgbi é um esporte “democrático”, no sentido de igualitário, porque dá a oportunidade de pessoas de diferentes portes físicos (gordo, magro, alto, baixo), habilidades, gêneros e idades de praticá-lo, diferentemente de inúmeros esportes.

A missão do rúgbi vai muito além de seus campos, ele é um esporte que serve de mecanismo para a formação de uma sociedade consciente, formada por valores morais que tanto faz falta ao povo brasileiro. Ao invés de propagar a malandragem, o individualismo e a indisciplina que os jogos de futebol difundem, ele incentiva o trabalho em equipe, afinal o time é como um corpo que é uma unidade embora tenha muitos membros, e todos os membros sendo muitos, formam um só corpo, um só time; é praticamente impossível um único membro do time decidir uma partida. Outra questão diz respeito à disciplina, afinal viver com disciplina e sensatez, fazendo o que é justo, direito e correto só implica no sucesso de todo o grupo. Assim, saber dividir, cooperar e trabalhar em equipe são necessários para chegar a vitória de uma partida de rúgbi e imprescindíveis para alcançar a vitória mais importante de todas, viver em paz, com qualidade e tranquilidade em um mundo que prega a “lei da vantagem” como o único caminho para o sucesso. É por isso que todos aqueles que conhecem o esporte que mais cresce no Brasil pensam exatamente como o jogador do União Rúgby de Alphaville, Márcio Rosale, que diz: “O rúgbi é minha vida”, uma vida pautada em preservar e conservar os valores criados para dentro de campo, mas que o transcende e passa a fazer parte do seu dia a dia.

FB_IMG_1454644433298

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.