Segurança nas Escolas

Controles de acesso, barreiras físicas, instalação de câmeras, funcionários treinados, integração. Qual a medida mais eficaz para garantir um ambiente mais seguro?


Notícias 27 – 01 de maio de 2011

Por: Cleiton Serra é consultor em Segurança Empresarial e Patrimonial. Graduado em Gestão de Segurança Empresarial e Patrimonial, com MBA – Gestão Estratégica de Segurança. Atua na Atento Consultoria em Segurança – Contatos: (11) 972549440 / (11) 947443051

Controles de acesso, barreiras físicas, instalação de câmeras, funcionários treinados, integração. Qual a medida mais eficaz para garantir um ambiente mais seguro?

O problema de falta de segurança atinge escolas públicas e privadas que por estarem vulneráveis buscam, cada vez mais, meios para garantir tranquilidade a funcionários e alunos.

Casos como o da escola em Realengo, no Rio de Janeiro, nos mostram a importância de ter um controle de acesso mais rígido. Nesta edição você confere pequenas atitudes educacionais que melhoram a segurança externa e interna.

Sabemos que nem todas as escolas, principalmente as públicas, disponibilizam de verbas para instalação de câmeras, muros altos e uma equipe de segurança para monitorar as dependências. Porém, o simples fato de exigir uma carteirinha com a identificação, o uso do uniforme (que até em casos de acidente no caminho para a escola ou para a casa, auxilia a localizar onde estuda e os responsáveis pelo aluno), segregar acesso a estranhos e ex-alunos e acompanhá-los até o destino caso necessitem entrar, são atos que não requerem tanto investimento.

O treinamento de colaboradores (Agente Escolar – Coordenadores, monitores, serventes, professores, diretores, etc) auxilia no controle interno e orienta como verificar atitudes suspeitas, prevenir e combater a violência, que muitas vezes ocorre entre os próprios alunos. É um trabalho simples que transforma os funcionários da escola em multiplicadores de segurança e os capacitam para lidar com situações de conflito. Empresas como a Atento Consultoria em Segurança prestam esse serviço. Para isso, é enviado um gestor que avalia e desenvolve treinamentos adaptados para a necessidade de cada instituição.

A integração entre diretores, pais, alunos e forças de segurança da região, através de informações repassadas às rondas, garante um trabalho mais efetivo. Existem programas de combate à violência que são desenvolvidos pela Polícia Militar com sucesso. São cursos e palestras para pais e alunos. Você pode conhecer e agendar o projeto PROERD (Programa Educacional de Resistência às Drogas e Violência) na sua escola através do site da Polícia Militar de seu Estado (consulte aqui a lista de contatos).

Qualquer anormalidade nos arredores da escola, pode ser denunciada no telefone de emergência da Guarda Municipal 153.

Já para casos de vandalismo dos alunos, ocupar a mente e o corpo com trabalhos voltados para o bem é essencial para combater essa prática. Aplique atividades que foquem no trabalho em equipe e que desenvolva um senso de apropriação do espaço.

Como colocar a vida de seu filho em risco:

• Permita que ele vá sem uniforme para escola;
• Isente-o do uso de crachá, carteirinha e reclame na escola sobre a necessidade de identificações;
• Não repreenda de forma correta quando ele rabiscar paredes, quebrar objetos em casa ou em outros lugares;
• Ensine que a escola é do governo ou uma empresa e que ele não precisa respeitar esse lugar;
• Deixe-o ir e voltar desacompanhado;
• Contrate qualquer transporte escolar, sem seguir orientações de segurança (clique aqui);
• Não se importe se ele ficar transitando, antes ou após o horário das aulas, nos arredores e nas dependências da escola;
• Não explique a importância de não falar, acompanhar ou aceitar qualquer coisa de estranhos, principalmente doces;
• Fale mal dos professores na frente dele ou diga que o aluno é que tem sempre razão, por isso não é necessário obedecer;
• Nunca olhe os cadernos e não acompanhe o desenvolvimento escolar e muito menos as atividades aplicadas na escola;
• Falte nas reuniões de pais;

Os passos acima formam a receita certa para uma pessoa sem valores, fadada ao vandalismo, sujeita à brigas e más influências, sem acompanhamento e sem segurança. Não podemos culpar somente as escolas, responsabilidade é algo que não se transfere. Somos todos responsáveis pela nossa segurança e a de nossos familiares queridos.

Tudo que envolve segurança é um desafio, trabalhar na prevenção é mais fácil e custa mais barato do que imaginamos. Então vamos começar a praticar!

Um comentário em “Segurança nas Escolas

  • 10/05/2011 em 10:50
    Permalink

    Poxa, lendo essa matéria vejo que realmente há muita coisa que podemos fazer para aumentar a segurança. São atitudes tão simples…
    De fato, devemos tomar nosso papel na prevenção, em vez de ficar apenas reclamando do governo, achando que somos vítimas e isentos de responsabilidade.
    Concordo! Segurança é prática!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.